Alimentos (Industrializados)
Área: Tecnologias
Turno de Funcionamento
Noturno
Carga Horária Total
2400 horas
Duração do curso
5  Semestres
Ato Regulatório
Reconhecimento – Portaria nº46 de 22/02/2008, DOU de 26/02/08. Renovação de Reconhecimento – Portaria nº 286 de 21/12/2012, DOU de 27/12/2012.
.
Nota obtida em avaliação in loco pelo MEC em 2007
Apresentação
Visa formar o profissional especializado que é responsável por todo o processo de transformação de alimentos industrializados. Com formação baseada, fundamentalmente, na atuação prática garante a habilitação segura ao profissional para o ingresso imediato no mercado de trabalho. O tecnólogo em Alimentos é um profissional que irá planejar serviços, implementar atividades, administrar, gerenciar recursos, promover mudanças tecnológica e aprimorar condições de segurança, qualidade, saúde e meio ambiente. O conhecimento de matérias–primas também o possibilita criar e desenvolver novos produtos para a produção industrial e a manter o controle, o tranporte e o acondicionamento desses alimentos. A riqueza e diversidade de recursos e sabores existentes no Brasil representam importante potencial para a industrialização de alimentos, o que amplia as oportunidades de trabalho.
Mercado de Trabalho
Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos e Bebidas, o setor foi responsável por 10,2% do PIB nacional em 2014. No mesmo ano, sua participação na indústria de transformação foi de 22,5%. Com faturamento de R$ 529,6 bilhões, as mais de 33,5 mil indústrias de alimentos e bebidas do Brasil encerraram o último exercício empregando 1,66 milhões de trabalhadores, o que representou um crescimento de 17 mil novos postos em relação a 2013, constituindo–se assim no maior empregador entre as indústrias de transformação do País. (Fonte: ABIA, 2014)
Sendo assim, a indústria de alimentos apresenta um grande potencial no Brasil, em razão da diversidade de matérias–primas que podem ser exploradas e da enorme área disponível para produção de alimentos. O Brasil é referencia mundial como grande exportador do agronegócio e as Faculdades Oswaldo Cruz propõe um curso que aumente o valor agregado do alimento produzido no país.
Corpo Docente e Recursos
– Professores titulados
– Aulas com recursos de multimídia
– Trabalhos interdisciplinares
– Laboratório de microinformática
– Laboratório de Física
– Laboratório de Operações Unitárias
– Laboratório de Bioquímica
– Laboratório de Química Orgânica
– Laboratório de Análise de Alimentos
– Laboratório de Controle de Qualidade de Alimentos
– Laboratório de Química Analítica
– Laboratório de Microbiologia
– Biblioteca
– Sala de estudos
– Auditórios para palestras e congressos
– Espaço de exposições de trabalhos
– Instalações para deficientes físicos
– Centro audiovisual
– Centro Acadêmico
– Núcleo de Estágios
– Serviço Social
Informações Técnicas
1. A partir do primeiro Módulo em que se matricular o estudante deverá cumprir, no mínimo, 400 (quatrocentas) horas de Atividades complementares, que abrangerão as modalidades regulamentadas pelo Conselho Técnico–Profissional desta IES, visando ao aprimoramento de sua formação profissional, cabendo–lhe comprová–las junto à Coordenação do Curso para fins de assentamentos acadêmicos.

2. O estudante poderá cursar, optativamente, a disciplina Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), com carga horária de 40 (quarenta) horas, que será oferecida por esta Instituição de Ensino Superior em horários alternativos ao longo do curso. Caso o estudante opte por cursá–la, essa disciplina será, então, incluída como componente curricular em seu Histórico Escolar e sua carga horária será deduzida do total daquela destinada às Atividades complementares.

3. O estudante poderá realizar, em qualquer Módulo em que esteja matriculado, estágio de prática profissional, de caráter optativo, visando adquirir experiências que sejam pertinentes às áreas do conhecimento e de atuação abrangidas pelo curso. Nesse caso, o estudante poderá aproveitar o estágio de caráter optativo como parte das Atividades Complementares previstas no Projeto Pedagógico do Curso.

4. Ao término de cada Módulo, o estudante deverá apresentar perante Banca Examinadora um Trabalho de Conclusão de Módulo (TCM), baseado em experiência vivenciada no respectivo Módulo. Essa atividade acadêmica poderá, a critério do Núcleo Docente Estruturante, ser aproveitada como parte das Atividades Complementares previstas no Projeto Pedagógico do Curso.

5. Em caso de o estudante deixar de apresentar o Trabalho de Conclusão do Módulo (TCM) no mesmo semestre letivo em que estiver matriculado, poderá matricular–se no seguinte que for oferecido por esta Instituição de Ensino. Contudo, a sua aprovação naquele Módulo dependerá do depósito do aludido trabalho e de sua aprovação perante Banca Examinadora.

6. Ao término de cada Módulo o estudante poderá requerer à Secretaria Geral o respectivo Certificado, desde que tenha logrado aprovação em todos os componentes curriculares, inclusive no TCM relativo ao Módulo cursado.

7. O período de integralização do curso é de, no mínimo, 05 (cinco) semestres e, no máximo, de 08 semestres.

8. Os alunos formados poderão requerer registro no CRQ – Conselho Regional de Química, recebendo as atribuições relativas ao curso.
Informações Gerais
Estágio optativo.
Coordenação
Taís Aparecida de Assis Garcia Moreira - Mestre
E-mail para o coordenador
Curriculum

A docente tem experiência na área de analise de padrões de bebidas industrializadas por meio de língua eletrônica, dispositivo desenvolvido e criado em conjunto com o Grupo de Engenharia Molecular–EPEUSP. Professora das Faculdades Oswaldo Cruz, atuando nos curso de Alimentos Industrializados, Polímeros e Cosméticos.

Atuou como consultora para analise sensorial em alimentos utilizando sensores tipo língua eletrônica e pesquisas de esterilização de alimentos por meio de radiação.

Possui graduação em Licenciatura em Física pela Universidade de São Paulo (2005) e mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade de São Paulo (2008). Atualmente é pesquisador da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Engenharia Elétrica, com ênfase em Desenvolvimento de novos materiais poliméricos, atuando principalmente nos seguintes temas: polímero, blenda, trilhas condutoras e plasma.
O valor da mensalidade do curso para o 1º semestre de 2018 é de R$ 795,00 (06 parcelas), com vencimento no 1º dia de cada mês.

Este curso participa do Programa de Bolsas Professora Rosa Quirino. Verifique no site www.consultebolsas.com.br.