FATEC Oswaldo Cruz realiza palestra sobre injúria racial
Foto: Egidio Oliveira
Professor Mario Fonseca ministrou palestra sobre injúria racial

A Faculdade de Tecnologia Oswaldo Cruz (FATEC) realizou, na noite do dia 02 de outubro, no Auditório Professor Hirondel Simões Luders, uma palestra abordando a diversidade e a intolerância. A atividade foi ministrada pelo sociólogo professor Mário Fonseca, possuiu o título “Racismo ou vitimismo: um debate sobre a injúria racial em tempos do politicamente correto” e contou com a presença dos alunos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Alimentos Industrializados, Gestão Ambiental, Polímeros e Cosméticos.

“O objetivo desta palestra é trazer temas importantes como este para discussão junto à nossos alunos. Esta é uma prática que adotamos há alguns anos e percebemos que nossos alunos sempre participam e elogiam as palestras e eventos que tratam do tema. No dia 20 de novembro próximo, comemoraremos o Dia da Consciência Negra pois é a data da morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, em 1695. O que desejamos é informar e conscientizar nossos alunos sobre a importância do negro na sociedade”, explica a Diretora da FATEC Oswaldo Cruz, Profa. Maria Angélica Barone.

A atividade teve por objetivo desenvolver a visão crítica em relação à intolerância, discriminação e formas de preconceito em relação às culturas afro–brasileiras e visou desenvolver critérios que levassem os alunos a refletirem sobre os elementos que caracterizam o racismo na atualidade.

“A mensagem que passei aos alunos que é preciso, primeiramente, ultrapassarmos o conceito de raça, que dentro do campo biológico já não faz mais sentido, para, em seguida, vencermos a politização do racismo, que polariza o debate, fortalecendo de ambas as partes – esquerda e direita– uma ideia que deve ser desconstruída”, detalha o professor Mário Fonseca.

A palestra contou com uma apresentação de aproximadamente 30 minutos falando de uma história do racismo a partir de sua construção científica até chegarmos ao cientificismo, empoderamento do tema pela esquerda que gerou “vitimismos” pelo sistema de cotas e outras políticas de ação afirmativa e resistência da direita que minimizou o problema do racismo transformando–o em algo banal. “Chamo este embate de politização do racismo. Por fim, foi proposto o que defendo como despolitização do racismo e a desconstrução do conceito de raça”, explica o docente Mário Fonseca.





  Publicado em: 15/10/2018  por: Egidio Oliveira  
Comentário *  caracteres
Atenção: No final do comentário coloque seu nome e e-mail.


Digite o número acima

      

Unidade Barra Funda

Rua Brigadeiro Galvão, nº 540 - Barra Funda
São Paulo - SP - CEP 01151-000
Próximo ao Metrô Marechal Deodoro
Tel.: (11) 3824-3660 - Fax.: (11) 3824-3660


Unidade Angélica

Avenida Angélica, nº 352 - Santa Cecília
São Paulo - SP - CEP 01228-000
Próximo ao Metrô Marechal Deodoro e
Santa Cecília - Tel.: (11) 3825-8344

Redes Sociais

Selos Institucionais

Selo IES Socialmente Responsável Conselho Regional de Química