Workshop sobre software
Foto: Egidio Oliveira
Curso da FATEC Oswaldo Cruz realiza workshop

O curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Faculdade de Tecnologia Oswaldo Cruz (FATEC) realizou, no dia 09 de maio, o workshop intitulado “Requisitos de um software para a inclusão de pessoas com necessidades especiais no mercado de trabalho”. A atividade organizada pelo coordenador do curso, Prof. Gerson Rissetti, contou com as palestras da psicóloga Mônica da Costa Santarelli, da FFM USP, e do analista de Relações Humanas da TOTVS, Rodrigo dos Santos.

“O objetivo do evento é identificar as necessidades relacionadas à empregabilidade das pessoas com deficiência. Mais tecnicamente estabelecer e entender os requisitos de uma aplicação que auxiliasse a inclusão dessas pessoas no mercado de trabalho”, explica o professor Gerson Rissetti.

Os alunos do curso estão desenvolvendo, nesse semestre, como projeto do Trabalho de Conclusão do Módulo de Análise de Sistemas, a modelagem de um software com a finalidade da inclusão de pessoas com necessidades especiais no mercado de trabalho. “Isto é importantíssimo, não só pelo fato de poder se tornar uma ferramenta de inclusão, mas por promover a discussão e a conscientização de todos em relação à inserção social das pessoas com deficiência”, enfatiza o coordenador do curso.

Definições de necessidades especiais

O início da palestra de Mônica da Costa Santarelli contou com as definições que passaram ao longo de décadas as pessoas com necessidades especiais. “O termo portador de deficiência não é pertinente. Não somos portadores”, explicou. A psicóloga apontou que a partir da década de 90 até os dias atuais o termo “pessoas com deficiência passou a ser um termo preferido por um número maior de adeptos.

Nas duas últimas décadas os valores agregados às pessoas com necessidades especiais são o empoderamento, que representa o uso pessoal para fazer escolhas, tomar decisões e assumir o controle das situações, e a responsabilidade de contribuir com seus talentos para mudar a sociedade rumo à inclusão de todos. “A diversidade não é o tema do momento. É uma realidade”, apontou Mônica Santarelli.

A política de inclusão

Já a apresentação de Rodrigo dos Santos iniciou com a exposição da empresa em que trabalha, estabelecendo uma ligação com a política de inclusão, seleção, recrutamento e contratação. “Hoje, 75% do meu tempo é focado em diversidade. Na inclusão com refugiados, transgêneros, pessoas com necessidades especiais e a inclusão de mulheres em liderança. Quanto mais diverso for seu ambiente, maior será a lucratividade”, destacou o analista de Relações Humanas.

Rodrigo realiza diariamente o processo de contratação e acompanha o rendimento de pessoas com necessidades especiais da empresa TOTVS. “A pessoa com deficiência deve ser cobrada em seu trabalho. Afinal de contas, ela é uma pessoa”, opina. O palestrante apontou que os três maiores desafios para a política de inclusão de pessoas com necessidades especiais no mercado de trabalho são as resistências das lideranças, confiança própria do trabalhador e a acessibilidade. “Hoje a gente ainda engatinha quando o assunto é inclusão”, enfatiza.





  Publicado em: 16/05/2018  por: Egidio Oliveira  
Comentários
em: 17/05/2018 13:12:07
1) Parabéns Prof. Gerson e Equipe, a inclusão é um assunto que deve estar na pauta sempre, abrir espaço para discussão gera oportunidades de inúmeras soluções. Biblioteca Alfredo Monteiro. biblioteca@oswaldocruz.br
 
Comentário *  caracteres
Atenção: No final do comentário coloque seu nome e e-mail.


Digite o número acima

      

Unidade Barra Funda

Rua Brigadeiro Galvão, nº 540 - Barra Funda
São Paulo - SP - CEP 01151-000
Próximo ao Metrô Marechal Deodoro
Tel.: (11) 3824-3660 - Fax.: (11) 3824-3660


Unidade Angélica

Avenida Angélica, nº 352 - Santa Cecília
São Paulo - SP - CEP 01228-000
Próximo ao Metrô Marechal Deodoro e
Santa Cecília - Tel.: (11) 3825-8344

Redes Sociais

Selos Institucionais

Selo IES Socialmente Responsável Conselho Regional de Química