Institucional | Imprensa | Mapa do site | Localização | Fale Conosco
Cursos de graduação das Faculdades Oswaldo CruzCursos do Centro de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão Oswaldo CruzEnsino Médio e Cursos Técnicos do Colégio Oswaldo CruzProcesso Seletivo
Entenda como surgiu a comemoração do Dia Internacional da Mulher
Foto: Comunicação Oswaldo Cruz
Entenda como surgiu a comemoração do Dia Internacional da Mulher

Segundo o colunista Tony Goes, do Jornal a Folha de São Paulo, “uma das fantasias recorrentes da psiquê masculina é o medo de um mundo dominado pelas mulheres. Baseado no mito grego das amazonas, neste universo paralelo os homens seriam meros coadjuvantes”.

Cada vez mais temos a impressão de que o mundo pertence às mulheres, algumas ainda não se deram conta, mas começam a suspeitar, sim, começam a suspeitar, porque nunca antes na história o poder esteve tanto nas mãos delas. Só para citar os exemplos, a nossa Presidenta da República Dilma Rousseff, Cristina Kirchner na Argentina, Angela Merkel na Alemanha, Laura Chinchilla primeira presidenta da Costa Rica, Hillary Clinton Secretária de Estado dos Estados Unidos, que por pouco não se elegeu como mandataria máxima em seu país.

A elas somam–se o infindável número de representantes femininas nos poderes executivos e legislativos. Num passado não muito distante, Michelle Bachelet foi a primeira mulher a governar o Chile, Ellen Sirleaf que, em 2005, conseguiu um feito quase inimaginável ao se tornar a primeira mulher eleita presidente de um país africano, a Libéria. Margaret Thatcher também se destacou como primeira ministra da Grã–Bretanha entre 1979 e 1990. Com sua segurança inabalável enfrentou com mão de ferro várias crises, como a Guerra das Malvinas e o preconceito machista no Palácio de Westminster.

Mas por outro lado, paradoxalmente os direitos civis e humanos mais básicos ainda são negados e negligenciados a boa parte das mulheres que ainda continuam sem direito a vida, a maternidade, ao direito de ir e vir, à politica e ao trabalho simples e ao trabalho com renumeração equiparada ao sexo masculino.

Barbáries ainda são praticadas contra as mulheres

Em diversas regiões do mundo uma série de barbáries ainda são praticadas contra as mulheres, submetidas a situações degradantes de intolerância e descrédito. Em países do Oriente Médio, da África e Sudeste Asiático, onde a permanência de grupos étnicos é bastante significativa, ainda se praticam hábitos repugnantes de mutilação física com a intenção de diminuir a feminilidade das mulheres e salvaguardar a honra dos maridos, e alavancada por preconceitos sociais e religiosos. Em casos extremos ocorre a retirada total ou parcial dos órgãos sexuais, para agravar ainda mais a situação, esse tipo de procedimento é conduzido sem nenhum tipo de assepsia, por meio de qualquer tipo de objeto cortante.

A boa noticia é que segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) a incidência das mutilações vem caindo nos últimos anos, mas ainda segundo a mesma ONU, cerca de 120 milhões e 140 milhões de meninas e mulheres já foram submetidas a esta prática dolorosa. Em Uganda, na África, a lei é conivente com maridos que batem em suas esposas e reconhece ao homem esse direito. Mesmo sem esse “direito” previsto por lei, na América Latina e Caribe, a violência doméstica atinge entre 25% e 50% das mulheres.

Na Índia o costume do dote é um problema preocupante, segundo a Anistia Internacional cerca de 5 mil mulheres são mortas anualmente na Índia em disputas familiares por dotes de noivas. Por essa razão os indianos preferem filhos do sexo masculino e despreza filhos do sexo oposto. O Brasil um dos maiores exportador de escravas brancas do mundo, um dos que mais envia mulheres para o mercado exterior da prostituição.

O Dia Internacional das Mulheres

Para que esses verdadeiros absurdos não caiam no esquecimento, e como uma solução definitiva, foi criado o Dia Internacional da Mulher, tido como um marco na história moderna, pois de concreto, não existe um consenso sobre o surgimento da data. Para alguns pesquisadores a data tem como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações também são tidas como o início da Revolução de 1917.

Porém a versão mais aceita remete ao dia 8 de março de 1857, quando operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. As grevistas resolveram ocupar a fábrica como forma de reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A comemoração chegou a ser realizada em outra data. O Partido Socialista da América estabeleceu, em maio de 1908, que o último domingo de fevereiro seria o “Dia Nacional das Mulheres”, mantendo a celebração até 1913. Dois anos depois, organizações socialistas implantaram que a comemoração seria realizada em 19 de março, após reunião sediada em Copenhague, na Dinamarca.

Independente de qual seja a data, o importante é relembrar sempre a simbologia por trás da data, e não permitir que tais atrocidades voltem a se repetir, pensamentos retrógados que giram nessa órbita não devem mais encontram espaço na nossa sociedade, devemos entender que já passou do tempo de aceitar os direitos e deveres de todos sem distinção de sexo, credo, raça, religião ou orientação sexual. O mundo é cada vez mais das mulheres, mas algumas ainda não perceberam...

  Publicado em: 08/03/2012  por: Ricardo Mirão  
Comentários
em: 11/03/2012 21:05:17
1) O dia 8 de março foi escolhido por um protesto realizado pelas mulheres socialistas russas como diz a matéria. O protesto ocorreu no dia 23 de fevereiro de 1917, mas na Rússia era utilizado outro calendário e no calendário ocidental era o 8 de março.
Parabéns pela matéria e à todas as mulheres!!!

Lucas Marcelino
Presidente do Diretório Acadêmico das Químicas
 
em: 11/03/2012 16:43:47
2) Muito legal este site.
 
em: 09/03/2012 16:05:17
3) Ricardo,

Parabéns, pela matéria e pela pesquisa a respeito da comemoração da data através da história. Dia após dia reivindicamos nossos direitos, e aos poucos estamos superando barreiras e discriminações. Exemplo recente de reconhecimento e de competência é o da Presidência da Petrobrás, Engenheira Química Graça Foster.

Profa Beth Brotto.
 
em: 09/03/2012 13:22:40
4) Mirão,
Parabéns pela iniciativa de nos parabenizar com essa matéria, muito interessante, eu particularmente não sabia da história. Que seja um alerta a todas as mulheres que, ainda sofrem opressão de alguma forma.
Sarah
ra_faec@oswaldocruz.br
 
Comentário *  caracteres
Atenção: No final do comentário coloque seu nome e e-mail.


Digite o número acima

      
Achados e Perdidos | WebMail | Área Administrativa | Política de Privacidade | Equipe Web | Trabalhe Conosco

IES Socialmente Responsável
Faculdades Oswaldo Cruz
Rua Brigadeiro Galvão, 540 - Barra Funda - São Paulo - SP
Próximo ao Metrô Marechal Deodoro
Tel.: (11) 3824-3660 - Fax.: (11) 3824-3660 - CEP 01151-000

Colégio e Escola Técnica Oswaldo Cruz
Av. Angelica, 352 - Santa Cecília - São Paulo - SP
Próximo ao Metrô Marechal Deodoro
Tel.: (11) 3825-8344 - CEP 01228-000

 


© Copyright Faculdades Oswaldo Cruz 2002-2013. Todos os direitos reservados.
Os conteúdos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores, não refletindo, necessariamente, a opinião da instituição.

Pós-Graduação Oswaldo Cruz - Inscrições Abertas
Outras Notícias
Alunos de Gestão Ambiental e de Química participam de Workshop na Metrohm
30/09/2014
Suspensão das Atividades – Eleições 2014
30/09/2014
Curso de Engenharia de Produção recebe três estrelas do Guia do Estudante 2014
29/09/2014
Concurso “Selfie com seu Professor”
29/09/2014
Curso de Contabilidade recebe três estrelas do Guia do Estudante 2014
24/09/2014
Confira a programação da XXIV Semana Farmacêutica
23/09/2014
Curso de Engenharia Ambiental recebe três estrelas do Guia do Estudante 2014
23/09/2014
RUF destaca Oswaldo Cruz como o melhor curso particular de Química de São Paulo
22/09/2014
Oswaldo Cruz e BomPar organizam II Seminário de População em Situação de Rua
19/09/2014
Matrículas em cursos tecnológicos possuem crescimento médio anual de 24,1%
17/09/2014