Foto: Antonio Alvares
Laboratório de Informática
E–mail, Sua Identidade na Internet

Muitas pessoas odeiam seus nomes e sobrenomes. Existem casos estranhos em que cidadãos adultos pedem até uma autorização judicial para mudar escolhas equivocadas de pais desavisados ou distraídos. Piadinhas são constantes falando dessas situações. Muitas mulheres quando se casam preferem ocultar o sobrenome de seus esposos para não gerar constrangimento... Um dos clássicos foi o da atriz Suzy Rego, quando estava casada com o ator Paulo César Grande. Fato ou lenda urbana, mas na realidade a combinação ficaria bastante esdrúxula para a pobre Suzy, vocês não acham?

Os tempos modernos nos deram a possibilidade clara de nos rebatizarmos com a escolha de um e–mail! Profissionalmente, quando a empresa em que trabalhamos “fabrica essa nova identidade” nomes e sobrenomes formam combinações padrão de identificação corporativa. A presença de homônimos também é facilmente resolvida!

Sou professor universitário há praticamente 16 anos, sendo assim vi a Internet entrando dentro das salas de aulas. Não existe mais estudante que não tenha um e–mail! E que fantástico! Todos podem escolher sua identificação, seja como assinante de um provedor, como adicional da conta da família e ainda com o mais comum dos casos, e–mails gratuitos.

Qual não foi minha surpresa ao perceber que este agora possível “auto–batismo” eletrônico traz de volta nomes completamente inadequados. Assustado, pergunto aos alunos se este é um e–mail informal, daqueles que se usa como apelido em salas de bate–papo (os famosos chats da Internet). Estupefato, ouço a resposta! “Não, prô! É o meu e–mail! Eu criei! Viu? Coisa de publicitário!” Ai bate o desespero! Alguns mostram até seus currículos com “aquilo” que julgam ser uma de suas primeiras brilhantes criações. Temo até que imaginem ser um diferencial! Poucos nos dão abertura e aceitam sugestões! Deixo claro que não falo apenas como professor, mas sim como alguém que está no mercado há 26 anos e que com certeza teria uma péssima impressão ao ter responder um e–mail solicitando uma vaga de estágio ou emprego para nomes como: nuts–nuts (piradão em inglês), maluk_re, pequena.ro, o_piradao, meiga–lu, fod_ao, todbalada, txutxu–k, pedrinha_da_lua, aneisdesaturno, regata_de_venus, sacode.balanca. A lista seria interminável. Mas, acho que dá para entender!

Stephen Covey, consultor festejado diz que além de paixão e disciplina um empregador procura seriedade em um novo profissional. Seriedade não é sisudez ou caretice, mas acima de tudo uma postura que demonstra segurança.

E concluindo, é muito fácil contratar quem tem um nome esquisito. Pode causar uma estranheza a principio, mas qualquer pessoa sabe: NÃO ESCOLHEMOS NOSSO NOME! Agora e–mail... Somos responsáveis por este ato! Então, seja simples, ou até óbvio! Use letras de seu nome, parte de nome com sobrenome, o que inclusive facilita a associação de identidades. Não vale correr riscos!

* Prof. Rubens Alves Júnior

Publicado por: Rubens Alves Junior - Especialista  em: 16/04/2012